Pesquisa personalizada

30 junho 2011

Visitar a Ilha do Lombo - Serra

A Ilha do Lombo localiza-se na Albufeira de Castelo do Bode e pertence à freguesia da Serra, envolta por uma paisagem magnífica, onde existem as condições necessárias para a prática de desportos náuticos e onde se podem passar agradáveis momentos de lazer.
É uma zona ideal para a pesca. Um local tranquilo onde poderá dar um passeio de gaivota ou de barco, ou simplesmente nadar nas águas límpidas do Rio Zêzere.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Assunção - Serra

29 junho 2011

Visitar a Igreja Matriz da Serra

Visitar a Fonte da Vila Nova - Serra

Visitar a Fonte de Santo António - Serra

Visitar a Capela de São Bartolomeu - Serra

A Capela de São Bartolomeu que se encontra no lugar de Chão das Maias, Freguesia da Serra é um pequeno templo aldeão. Possui uma imagem de São Bartolomeu, que tem aos pés o diabo, preso na sequência de uma violenta refrega.

Visitar a Capela de Santo André - Serra

Visitar a Capela de Santa Luzia - Serra

A Capela de Santa Luzia da Barreira, localizada na Freguesia da Serra, é um modesto templo aldeão.

Visitar a Capela de Nossa Senhora da Conceição - Serra

Visitar a Capela de Levegada - Serra

Visitar a Anta da Serra

28 junho 2011

Visitar a Praça de Touros da Quinta do Falcão - São Pedro de Tomar

Visitar a Igreja Matriz de São Pedro de Tomar

A Igreja Matriz de São Pedro de Tomar é com uma nave, tecto de madeira de três planos, capela-mor, coro sobre colunas, dois altares laterais e dois colaterais.
Do espólio deste templo, ressalta à evidência um manto de seda bordada, de finais do século XVII, de Nossa Senhora dos Prazeres.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Conceição - São Pedro de Tomar

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, localizada no lugar do Coito, na Freguesia de São Pedro de Tomar, foi inaugurado no dia 8 de Setembro de 1981.

Visitar o Cruzeiro de Santa Cita - São Pedro de Tomar

Visitar a Capela de Nossa Senhora de Lurdes - São Pedro Tomar

27 junho 2011

Visitar a Barragem de Castelo de Bode - São Pedro de Tomar

A barragem de Castelo do Bode é uma das mais importantes barragens portuguesas situa-se nos limites da Freguesia de São Pedro de Tomar com o Concelho de Abrantes, no Rio Zêzere
A barragem de Castelo de Bode é utilizada para abastecimento de água, designadamente a Lisboa, produção de energia eléctrica, defesa contras as cheia e actividades recreativas. É utilizada pelos adeptos de desportos como o windsurf, vela, remo, motonáutica e jet ski, bem da pesca desportiva (truta, achigã, enguias e lagostim vermelho).
A construção da barragem iniciou-se em 1945 e foi dada por terminada em 1951.
A barragem é de betão, por gravidade, mas com curvatura. A altura máxima acima da fundação é de 115 metros.
A albufeira localiza-se numa área de precipitação média anual de 1200 mm. O caudal integral médio anual é de 2 352 000 000 m³.

Visitar a Roda do Mouchão - São João Baptista (Tomar)

Visitar o Relógio de Sol - São João Baptista (Tomar)

O relógio de sol da Igreja de São João Baptista, localizado na Freguesia de São João Baptista, está colocado na esquina entre a Praça da República e a rua de S. João Baptista.

Visitar a Ponte Velha - São João Baptista (Tomar)

A Ponte Velha de Tomar, localizada na Freguesia de São João Baptista, foi construída sobre o bonito Rio Nabão e as suas origens são indefinidas.

25 junho 2011

Visitar o Padrão de Dom Sebastião - São João Baptista (Tomar)

Visitar o Jardim do Castelo de Tomar - São João Baptista (Tomar)

Visitar a Igreja de São João Baptista (Tomar)

A Igreja de São João Baptista é de finais do século XV e tem um portal manuelino rematado por um coruchéu octogonal.

No interior há um púlpito esculpido em pedra, com azulejos denominados "Ponta de diamante" e pinturas do século XVI que incluem uma Última Ceia de Gregório Lopes.
A igreja foi classificada como Monumento Nacional em 1910.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Conceição - São João Baptista (Tomar)

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, localizada na Freguesia de São João Baptista, tem três naves definidas por colunas coríntias. Apresenta frontões lisos na fachada e no transepto e o entablamento apoiado nas pilastras jónicas dos cunhais. Destaca-se a harmonia interior e a cobertura em abóbada com lavores.

Visitar a Estátua de D. Gualpim Pais - São João Baptista (Tomar)

A Estátua de D. Gualpim Pais, localizada na Freguesia de São João Baptista, foi inaugurada em 1940. D. Gualpim Pais nasceu em Amares em 1118. e faleceu em Tomar a 1195, foi um Freire Cavaleiro Templário de D. Afonso Henriques e encontra-se sepultado na Igreja Santa Maria dos Olivais.

Visitar o Convento de Cristo - São João Baptista (Tomar)

O Convento de Cristo, histórico monumento na cidade de Tomar, localizado na freguesia de S.Joao Baptista, classificado pela UNESCO como Património Mundial, pertenceu à Ordem dos Templários. Foi fundado em 1160 pelo Grão-Mestre dos Templários, dom Gualdim Pais, o Convento de Cristo ainda conserva recordações desses monges cavaleiros e dos herdeiros do seu cargo, a Ordem de Cristo, os quais fizeram deste edifício a sua sede. Trata-se de uma construção periurbana, implantada no alto de uma elevação sobranceira à planície onde se estende a cidade. Está circundado pelas muralhas do Castelo de Tomar e pela mata da cerca. Actualmente é um espaço cultural, turístico e ainda devocional. A arquitectura partilha traços românicos, góticos, manuelinos, renascentistas, maneiristas e barrocos.

24 junho 2011

Visitar o Castelo de Tomar - São João Baptista (Tomar)

O Castelo de Tomar localiza-se na Freguesia São João Baptista, é um castelo templário, na margem direita do rio Nabão, que integrou, à época da Reconquista, a chamada Linha do Tejo, juntamente com outros na região, que lhe acompanham o estilo: os castelos de Almourol, Idanha, Monsanto, Pombal e Zêzere.

O castelo apresenta elementos de arquitectura militar nos estilos românico, gótico e renascentista. É composto por uma dupla cintura de muralhas, que delimitavam o primitivo burgo intramuros e a praça de armas: uma num plano superior, de planta poligonal irregular, com algumas faces curvas, nascendo junto à entrada da Casa do Capítulo e terminando na Torre de Dona Catarina. Delimita a Alcáçova e mantém apenas a cisterna e a Torre de Menagem no seu interior, figura defensiva introduzida em Portugal pelos Templários e que tem, aqui, o seu testemunho mais antigo; outra num plano inferior, ligando a fachada Leste da Charola à zona Sul da Alcáçova, que correspondia à vila fortificada da Baixa Idade Média. Também apresenta planta poligonal irregular, desenvolvendo-se em cunha no sentido Leste, rematada numa grande torre de planta quadrangular, denominada Torre da Rainha.

Visitar a Capela de São Lourenço - São João Baptista (Tomar)

A Capela de São Lourenço, localizada na Freguesia de São João Baptista, foi construída no século XVI, para comemorar o local onde se juntaram os exércitos do mestre de Avis e de D. Nuno Álvares Pereira, em 1385, antes da Batalha de Aljubarrota. Existe um painel exterior de azulejos evoca o acontecimento.

Visitar a Praça de Touros José Salvador - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

Visitar a Ponte do Flecheiro - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

A Ponte do Flecheiro, localizado na Freguesia de Santa Maria dos Olivais, tem três vãos, em betão armado e pré-esforçado, com uma extensão total de 71,5 metros e uma largura de 17 metros.

Visitar a Igreja de Santa Marta - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

23 junho 2011

Visitar a Igreja de Santa Maria dos Olivais (Tomar)

A Igreja de Santa Maria dos Olivais, situa-se na freguesia de Santa Maria dos Olivais, na margem esquerda do Rio Nabão. O templo, cuja fundação remonta ao século XII, foi a sede da Ordem do Templo em Portugal, tendo servido como panteão dos mestres templários. Este templo, Monumento Nacional desde 1910, é um dos exemplares mais emblemáticos da arte gótica em Portugal, tendo servido de modelo às igrejas de três naves construídas até ao período manuelino.
A grande importância da igreja na época medieval é comprovada pela existência de uma bula papal, passada ainda durante o período templário, que colocou o templo a depender directamente do Papa e da Santa Sé, fora da alçada de qualquer diocese. Mais tarde, em 1455, uma bula do Papa Calisto III tornou-a matriz de todas as igrejas dos territórios descobertos na Ásia, na África e na América, sendo-lhe conferida a honra de Sé Catedral.
A fachada principal apresenta três corpos, que definem as naves. O corpo central inclui o pórtico gabletado, de quatro arquivoltas ogivais assentes em colunas capitelizadas, sobrepujando-o uma magnífica rosácea de doze folhas trilobadas. No frontão do gablete, que envolve o portal, está gravado um signo-saimão. Nos corpos laterais, separados do central por dois gigantes, rasgam-se duas frestas de verga trilobada e espelho duplo. A abside, flanqueada por gigantes, é rasgada por altas frestas de ogiva pouco apontada, que iluminam amplamente a capela-mor. A fachada sul apresenta uma galeria corrida, ao nível das naves, enquadrada por colunas toscanas. No adro, ergue-se uma vigorosa torre de fundação medieval que serve como sineira, possuindo a particularidade de se apresentar separada da igreja.
Do lado da epístola, abrem-se cinco capelas, com arcos de pedraria quinhentistas, de volta perfeita, sobre pilastras com capitéis jónicos. As capelas são intercomunicantes, sendo iluminadas por frestas e cobertas por abóbadas nervuradas, cujos fechos possuem ornatos diferenciados. Os altares, em alvenaria, são revestidos de azulejos policromos seiscentistas, com excepção do da terceira capela, que é em talha dourada. Nestas capelas, é possível admirar imagens de Santa Ana, escultura dos finais do século XVI, de Santa Maria Madalena e de São Brás.
A capela-mor, que apresenta uma cobertura em abóbada nervurada, possui dois altares, sendo o altar-mor de calcário e o outro de madeira. Nesta capela, admiram-se uma escultura de pedra quinhentista, exposta no altar-mor, representando Nossa Senhora do Leite, e a arqueta renascença do bispo D. Diogo Pinheiro, abrigada sob um arcossólio de volta perfeita, com intradorso em abóbada de caixotões e decoração com querubins na arquivolta. As capelas colaterais, que se acedem através de arcos de volta quebrada, são revestidas por azulejos do tipo padrão e apresentam altares em alvenaria, cujos frontais são revestidos com azulejos policromos. A capela do lado da epístola, conhecida como Capela de Simão Preto, tem uma cobertura em abóbada nervurada azulejada, apresentando uma imagem de Nossa Senhora da Conceição no altar. A capela do lado do evangelho é coberta por uma abóbada de berço quebrada e azulejada.
Algumas das lápides parietais, que se encontram espalhadas um pouco por toda a igreja, são dignas de registo, nomeadamente a de D. Gualdim Pais e a do Mestre Lourenço Martins, ambas embebidas no paramento da segunda capela do lado da epístola, e a do Mestre D. Gil Martins, na capela-mor, todas elas com inscrições em caracteres góticos.

Visitar a Igreja dos Carvalheiros - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

Visitar o Convento de Santa Iria - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

O Convento de Santa Iria, localizado na Freguesia de Santa Maria dos Olivais, tem uma Igreja em honra da padroreira da cidade de Tomar: Santa iria. A actual igreja é fruto da reforma do século XVI, destacando-se a porta quinhentista e uma capela lateral. Nesta capela destaca-se o retábulo de pedraria e decoração renascentista. O altar é em pedra de Ançã. Destaca-se a nave da igreja revestida a azulejos do século XVII,a capela-mor coberta com abóbada de nervuras e os altares de talha dourada.

Visitar o Campanário de Santa Maria dos Olivais (Tomar)

Visitar o Arco das Freiras - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

O Arco das Freiras, localizado na Freguesia de Santa Maria dos Olivais, é do século XVI, e serve de passagem sobre via pública, estabelecendo a comunicação entre dois edifícios conventuais.

Visitar o Aeródromo de Valdonas - Santa Maria dos Olivais (Tomar)

22 junho 2011

Visitar a Ribeira da Fonte Pais Nunes - Pedreira

Visitar o Poço Antigo da Pedreira

Visitar o Miradouro da Pedreira

Visitar as Lapas - Pedreira

Visitar a Igreja de Nossa Senhora das Neves - Pedreira

A Igreja de Nossa Senhora das Neves, localizada na Freguesia de Pedreira, foi reconstruída entre 1777 e 1782 através de subscrição pública, como consta de inscrições no interior. De uma só nave, tem tecto em madeira de três planos, capela-mor e dois altares colaterais.
No corpo do templo estão dois quadros de pintura a óleo sobre tábua, dos finais do século XVI, repintados de forma agradável. Representam a degolação de um santo mártir e o episódio de S. Tiago e os Mouros.
No presbitério, existe um cadeirão do século XVIII, com o fundo e a espalda de coiro gravado. Existe ainda uma imagem da Santíssima Trindade, escultura de pedra quinhentista.

21 junho 2011

Visitar a Fonte de São Simão - Pedreira

Visitar a Fonte de Romã - Pedreira

Visitar o Convento dos Templários da Quinta da Granja - Pedreira

O Convento dos Templários na Quinta da Granja, localizado na Freguesia de Pedreira, antiga propriedade da Ordem de Cristo, foi construído em 1619.

Visitar a Cascata da Pedreira

Visitar a Capela de São Simão - Pedreira

Visitar o Pelourinho de Paialvo

O Pelourinho de Paialvo está colocado sobre uma plataforma em pedra, com três degraus circulares, sobre a qual assenta o fuste constituído por duas pedras, e apresentando no topo um cone truncado com uma esfera por cima, ambos em pedra.
Paialvo, foi no passado sede de concelho até 1836.
O Pelourinho de Paialvo está actualmente classificado como Imóvel de Interesse Público.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Paialvo

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, localizada em Carrazede, Freguesia de Paialvo, é um templo que já tem mais de quatrocentos anos, embora já tenha sofrido modificações posteriores. A frontaria tem empena de bico, ladeada por uma torre sineira, com uma janela de coro e um óculo na parte superior. Ladeiam a porta dois nichos de pedra lavrada, com ornatos renascentistas de origem. Cada um abriga a sua imagem: de um lado, Nossa Senhora Mãe dos Homens; do outro, a Santíssima Trindade. São ambas de pedra e do mesmo período. No interior, na nave, há dois altares laterais, dois colaterais e o altar-mor. Têm todos retábulos com talha dourada oitocentista e um silhar de azulejos azuis e amarelos do tipo “padrão”, do século XVIII, que revestem também toda a capela-mor. O tecto da igreja ainda é o inicial, de esteira, pintado com motivos ornamentais.