Pesquisar neste blogue

18 agosto 2019

Visitar a Barragem da Marateca - Póvoa de Rio de Moinhos

A barragem da Marateca ou barragem da Santa Águeda localiza-se na Freguesia de Póvoa de Rio de Moinhos. Situa-se no rio Ocreza.
É uma barragem de aterro. Possui uma altura de 25 m acima da fundação (24 m acima do terreno natural) e um comprimento de coroamento de 1054 m (largura 7,6 m). O volume da barragem é de 435.000 m³. Possui uma capacidade de descarga máxima de 15,25 (descarga de fundo) + 60 (descarregador de cheias) m³/s

30 julho 2019

Visitar a Quinta da Alma Cheia - Ninho do Açor

A Quinta da Alma Cheia, localizada na Freguesia do Ninho do Açor, é uma propriedade do início do século XX que apresenta pomares, vinhas e prados. Actualmente usada para Turismo rural a Quinta tem 4 casas em granito com uma arquitectura em espaço aberto, espalhadas em 120 hectares.
Cada casa inclui 2 quartos, uma sala de estar, uma kitchenette, uma casa de banho com produtos de higiene pessoal gratuitos, uma entrada privativa, uma televisão de ecrã plano com canais por satélite e acesso Wi-Fi gratuito. Todas as casas proporcionam um terraço e vistas para o lago e a montanha.
Esta Quinta possui uma praia de ribeira privada. A área permite aos hóspedes desfrutar de actividades exteriores como vela, natação, canoagem e pesca.

Visitar a Piscina de Ninho do Açor


Visitar a Igreja de São Miguel - Ninho do Açor


23 julho 2019

Visitar o Rio Aravil - Monforte da Beira

O rio Aravil corre de Nordeste para Sudoeste. É afluente da margem direita do rio Tejo e em parte do seu percurso divide os concelhos de Castelo Branco, na Freguesia de Monforte da Beira, e de Idanha-a-Nova. O caudal tem características torrenciais, sendo pouco significativo durante o verão, quase deixando de correr, para no período das chuvas atingir alguns metros de altura.

Visitar o Nicho de Monforte da Beira


Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda - Monforte da Beira

A Igreja da Nossa Senhora da Ajuda, localizada na Freguesia de Monforte da Beira, é do século XVI. Apresenta altar-mor e laterais de talha dourada, e um Cristo Crucificado, do século XIV, em estilo gótico.

Visitar o Couto dos Pardinhos - Monforte da Beira

O Couto dos Pardinhos, localizado na Freguesia de Monforte da Beira, é uma propriedade de Turismo Rural que possui piscina.

Visitar a Capela de Santo António - Monforte da Beira


17 julho 2019

Visitar o Rio Tejo - Malpica do Tejo

O Rio Tejo, o maior rio da Península Ibérica, que atravessa Portugal, marca a fronteira entre a Freguesia de Malpica do Tejo e Espanha, este percurso do rio está inserido no Parque Natural do Tejo Internacional.

Visitar o Rio Pônsul - Malpica do Tejo

O Rio Pônsul atravessa os concelhos de Idanha-a-Nova, onde nasce, e Castelo Branco. É um afluente da margem direita do rio Tejo e tem a sua foz na Freguesia de Malpica do Tejo, traçando a fronteira entre os concelhos de Castelo Branco e de Vila Velha de Ródão.

Visitar a Ribeira da Farropinha - Malpica do Tejo


Visitar a Ponte do Rio Ponsul - Malpica do Tejo


16 julho 2019

Visitar o Parque Natural do Tejo Internacional - Malpica do Tejo

O Parque Natural do Tejo Internacional, zona que abrange o vale do troço fronteiriço do rio Tejo, bem como vales confinantes e zonas aplanadas adjacentes, é uma área de reconhecida importância em termos de conservação da natureza, nomeadamente pelos valores faunísticos que alberga e em que se destacam várias espécies estritamente protegidas por convenções internacionais, algumas das quais classificadas como espécies em perigo de extinção, outras com o estatuto de vulneráveis e outras ainda consideradas raras.
O conjunto das arribas do Tejo desempenha um papel fundamental na conservação das espécies da flora e da fauna, juntamente com outros biótopos característicos das paisagens meridionais, nomeadamente vastas zonas de montado de sobro e azinho e algumas estepes cerealíferas.
As várias linhas de água presentes, com comunidades vegetais ripícolas associadas, constituem igualmente um importante património natural a conservar.
O Parque Natural do Tejo Internacional cobre uma superfície de 26484 hectares e estende-se por território pertencente aos concelhos de Castelo Branco Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão. No Concelho de Castelo Branco abrange, entre outras, a Freguesia de Malpica do Tejo

Visitar o Monte da Granja dos Castelos - Malpica do Tejo


12 julho 2019

Visitar o Palacete de Lousa (Castelo Branco)


Visitar o Núcleo Etnográfico da Lousa (Castelo Branco)

O edifício do Núcleo Etnográfico da Lousa é composto por dois pisos: o piso inferior dedicado à temática do ciclo tecnológico do azeite e o piso superior dedicado às Danças Tradicionais da Lousa.
O Núcleo dedicado às “Danças da Lousa” guia-nos numa viagem pela ricas tradições seculares desta Freguesia. Nele podemos encontrar a música, as letras, as danças recriadas em fotografia e filme, os trajes, os instrumentos musicais, como a genebres, espécie de xilofone, instrumento musical arcaico apenas utilizado na Lousa.
Apesar de se desconhecer qual a origem das “Danças da Lousa”, todos os anos o povo desta Freguesia, durante a festa religiosa de Nossa Senhora dos Altos Céus, 3º domingo de Maio, recria este ritual ancestral em frente da Igreja Matriz.
As “Danças da Lousa” são compostas por três danças distintas: “Dança das Donzelas”, “Dança dos Homens” e “Dança das Tesouras”.

11 julho 2019

Visitar a Igreja de Nossa Senhora dos Altos Céus - Lousa (Castelo Branco)

A Igreja de Nossa Senhora dos Altos Céus, localizada na Freguesia de Lousa, é um edifício de construção sólida constituído por uma só nave separada da capela-mor por arco de volta perfeita, por uma sacristia do lado Norte, por sacristia nova, cartório e sala do lado Sul e pela torre sineira contígua com a frontaria.
A frontaria é bela e elegante. Ao centro da fachada o portal de grandes dimensões e condizente janelão.
A ligação e decoração destes dois elementos arquitectónicos é feita por notável trabalho em cantaria granítica talhada ao estilo barroco com ramagens e voluptas que emolduram a frase "HAEC EST DOMUS DEI ET PORTA CELI" (Esta é a casa de Deus e a porta do Céu).
O interior do templo é rasgado nas suas paredes laterais por seis janelas, duas na capela-mor e quatro simetricamente implantadas no corpo da igreja. O acesso ao templo faz-se por amplo pórtico na frontaria ou pela porta do lado Sul, chamada "porta pequena".
No Corpo da Igreja destacam-se os seus quatro altares: o de São Miguel e o do Sagrado Coração de Jesus do lado esquerdo e os do Calvário e de Nossa Senhora do Rosário do lado direito.
O púlpito de madeira talhada é suportado por modilhão em granito.
O Baptistério de abobada de cantaria foi edificado rompendo-se a parede do lado Sul por arco em cantaria.
A Fonte Baptismal é de duas peças de cantaria granítica; a peça da copa é decorada em gomos de feitio canelado.
Encontra-se ainda no corpo da igreja o coro alto suportado por duas elegantes colunas.
A capela-mor é marcada pela imagem da padroeira de madeira policroma ao centro do retábulo em nicho de grandes dimensões.
O retábulo em madeira de castanho é decorado com marmoreados em diversos tons e com algum entalhamento dourado ao gosto do Barroco tardio.
Ladeiam a imagem da padroeira sobre mísolas a imagem de São José, à esquerda, e a imagem de um santo bispo e monástico.
O altar posterior em fino granito está decorado na base que o suporta com motivos eucarísticos, trabalho do canteiro José Pinto.
A abóbada de berço pleno é de madeira pintada: ao centro medalhão com a adoração do Santíssimo Sacramento rodeado de outros de menor dimensão com os evangelistas.
A sacristia do alçado Norte possui no interior um belo arcaz do século XVIII e ainda o fontanário de duas bicas. Digno de registo é o trabalho de marcenaria empregue na porta que dá acesso à capela-mor.
A torre sineira, de edificação seguramente posterior à igreja, tem num dos seus cunhais gravada a data de 1845 que nos parece bastante realista como data da sua construção.