Pesquisar neste blogue

31 maio 2019

Visitar a Capela de Ribeiro das Eiras - Almaceda


Visitar a Capela de Paiágua - Almaceda


Visitar o Caminho de Xisto de Martim Branco - Almaceda

O deslumbrante Caminho do Xisto de Martim Branco, localizado na Freguesia de Almaceda, apresenta duas variantes. A principal, e mais longa, atravessa a aldeia para se embrenhar em carreiros e caminhos florestais que atravessam açudes, ribeiros e uma paisagem agrícola profundamente rural.
O percurso tem início na Aldeia do Xisto de Martim Branco, atravessa a ribeira e, tomando os carreiros que atravessam a várzea, é possível seguir ao longo das levadas contemplando um açude e mesclas de olival, medronhal e azinhal.
Mais à frente, volta a atravessar a ribeira na ponte da Volta, entrando num novo trilho que acompanha uma levada vinda de um açude cimeiro.
Sobe a Levada Nova até ao seu açude, onde um carreiro nos conduz a um caminho florestal. No Porto da Vila, surje o corredor ripícola da ribeira de Almaceda. Volta-se a atravessar a ribeira numas poldras, que leva ao trilho florestal até à aldeia de Almaceda.
A variante mais curta leva até aos moinhos de água passando pelo antigo núcleo moageiro. Depois de atravessar a ponte da Volta, percorre a "Levada dos Moinhos" passando pelo antigo núcleo moageiro em direcção a Martim Branco.

Visitar a Aldeia de Xisto de Martim Branco - Almaceda

Martim Branco é uma aldeia de pequena dimensão, localizada na Freguesia de Almaceda e situada entre penedias de xisto e de quartzo. A aldeia desenvolve-se a partir de duas vias longitudinais apresentando uma configuração longitudinal. Uma desta ruas corre paralela e mais próxima à Ribeira de Almaceda.
Apresenta-se como um aglomerado rural onde construções destinadas a habitação, palheiros, fornos comunitários e açudes, se destacam pela sua arquitectura de traçado modesto e com uma particularidade interessante: o facto de nos materiais utilizados predominar, sem adulterações na maioria dos casos, o xisto e a taipa. O material de construção predominante é o xisto.

29 maio 2019

Visitar o Solar dos Viscondes de Oleiros - Alcains

O Solar dos Viscondes de Oleiros, localizado na Freguesia de Alcains, está classificado como Imóvel de interesse Público.

Visitar a Quinta das Sesmarias - Alcains

A Quinta das Sesmarias, é actualmente um espaço de turismo rural e situa-se na periferia urbana da Vila de Alcains, sendo uma propriedade com 3,5ha que mantém as características rurais do início do século XX. A primeira construção data de 1928 e foi recuperada em 2002 sob a forma de uma moradia.
A Quinta das Sesmarias permite um contacto estreito com a natureza, onde o silêncio do campo pode ser interrompido pelo cantar dos cucos na primavera, e a observação de aves e coelhos em perfeita harmonia com o seu habitat ou ainda as poses exibicionistas dos pavões e faisões em cativeiro. A quinta convida assim à contemplação e ao descanso, onde o bem-estar dos visitantes merece toda a atenção.

Visitar as Piscinas Municipais de Alcains


Visitar o Monumento de Elevação a Vila - Alcains


Visitar o Palacete de São Pedro - Alcains

O Palacete de São Pedro, localizada na Freguesia de Alcains, é uma bela casa de campo alpendrada com capela anexa, edificada num dos extremos de uma quinta que veio a ser desmembrada e cerceada de grande parte da sua área inicial para a passagem da linha de comboio da Beira Baixa (1891) que a dividiu em duas metades, numa das quais os seus proprietário vieram a edificar o primeiro grande projecto industrial de Alcains: a «Fábrica São Pedro» (1925), destinada à indústria de moagem de cereais e produção de pastas alimentícias.

Visitar o Museu do Canteiro - Alcains

O Museu do Canteiro, localizado na Freguesia de Alcains, encontra-se instalado no Solar dos Goulões, mais tarde designado Solar Ulisses Pardal.
O Museu tem uma exposição permanente com o tema central a pedra, as técnicas e os instrumentos para trabalhar este material - nomeadamente o granito - tão ligado à história sócio e económica da Vila e do Concelho.
Para além da exposição permanente dedicada ao labor do canteiro o Museu também apresenta diversas exposições temporárias (relacionadas com a temática da pedra) durante o ano.
O Museu do Canteiro é um equipamento municipal.

28 maio 2019

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Alcains

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, localizada na Freguesia de Alcains, data dos meados do século XVI. É uma igreja de grandes dimensões e apresenta uma frontaria pombalina.

Visitar a Fonte Românica de Alcains


Visitar o Estádio António Coelho Trigueiros de Aragão - Alcains

O Estádio António Coelho Trigueiros de Aragão, localizado na Freguesia de Alcains, tem a capacidade para 8.750 lugares e que foi inaugurado em 1963. Este estádio é onde o Clube Desportivo de Alcains disputa os seus jogos.

Visitar o Cruzeiro de Alcains


26 maio 2019

Visitar a Capela de São Pedro - Alcains

A Capela de São Pedro, localizada na Freguesia de Alcains, data de 1640.

Visitar a Capela de Santa Apolónia - Alcains


Visitar Castelo Branco

Castelo Branco é uma cidade portuguesa, capital de distrito e, situada na região estatística do Centro, na sub-região da Beira Baixa, com cerca de 34 000 habitantes no seu perímetro urbano.
É sede do terceiro maior município português, com 1 438,19 km² de área e 56 109 habitantes, subdividido em 25 freguesias. O município é limitado a norte pelo município do Fundão, a leste por Idanha-a-Nova, a sul pela Espanha, a sudoeste por Vila Velha de Ródão e a oeste por Proença-a-Nova e por Oleiros.
Ao contrário de outras cidades da região, que cresceram notavelmente devido à indústria têxtil, Castelo Branco sempre teve uma importância geoestratégica e política em Portugal. Não está, por esse motivo, sujeita às flutuações económicas que deslocalizaram empresas têxteis - mormente de laboração manual desqualificada - como sucedeu na região norte e na Cova da Beira. A composição sociológica predominante é por esse motivo também muito diferente de outras cidades de cultura do operariado.
Castelo Branco terá tido a sua origem no local de um castro pré-romano. No início do séc XII existia uma povoação no cimo da Colina da Cardosa, em cuja encosta se desenvolveu o povoamento da vila.

A cidade foi edificada inicialmente no topo e na encosta adjacente do Monte da Cardosa, mas cresceu e, hoje em dia, ergue-se principalmente nas zonas planas adjacentes. Ainda assim a cidade encontra-se 384 metros acima do nível do mar e o castelo a 490 metros. No extremo oposto ergue-se o Monte de São Martinho, uma formação quartzítica que constitui um importante centro arqueológico. O solo é na sua maioria do tipo granítico, do qual é exemplo uma afloração rochosa conhecida por barrocal a sul da cidade.
A nível hidrográfico há dois rios que passam bem perto da cidade, o Rio Ponsul a este e o Rio Ocreza a oeste que origina, por sua vez, a Ribeira da Líria. A área ocupada pelo concelho de Castelo Branco é parte integrante da bacia hidrográfica do Rio Tejo que corre a sul formando uma fronteira natural com Espanha. Tanto o Rio Ponsul como o Rio Ocreza são afluentes do Rio Tejo e, como tal, desaguam no mesmo.

Clima

O clima no concelho de Castelo Branco é temperado mediterrâneo influenciado pela continentalidade pelo que apresenta pouca humidade ao longo do ano. A localização da cidade, numa zona transitória entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, confere-lhe muitas das propriedades climatológica que apresenta. A temperatura média do ar ronda os 15,5 °C, atingindo o seu mínimo em Janeiro (com temperaturas médias mínimas próximas de 1 °C) e com a média de 7,9 °C. No seu máximo em Julho (onde a temperatura se situa, em média, na casa dos 25 °C).
A precipitação é mais abundante de Outubro a Janeiro com queda de neve e com precipitação de aguaceiros com valores acima dos 100mm. Em contrapartida, em Julho e Agosto, a precipitação é residual sendo estes os meses mais secos que a cidade atravessa anualmente. No Inverno em Janeiro, Castelo Branco tem temperaturas mínimas de -4 °C, mas há registos de -7 °C por vezes com ocorrência de queda de neve (média de 8 cm). Neste último mês de Janeiro (2012) não houve queda de neve devido às temperaturas mais altas do que o normal. Em Novembro de 1954, Castelo Branco foi atingido por um Tornado de categoria F3. Dia 25 de Outubro de 2012, Castelo Branco foi novamente atingido por um Tornado, desta vez mais fraco, aproximadamente um F1/F2 e com consequência do fenómeno, 5 edifícios da zona industrial e 32 viaturas foram danificadas, uma delas "voou" e foi projectada para uma ravina.

A visitar

Na Freguesia de Alcains
Capela de Santa Apolónia
Capela de São Pedro
Capela do Espírito Santo
Cruzeiro
Estádio António Trigueiros de Aragão
Fonte Românica
Igreja
Museu do Canteiro
Palacete de São Pedro
Pelourinho
Piscina Municipal de Alcains
Quinta das Sesmarias
Solar dos Viscondes de Oleiros

Na Freguesia de Almaceda
Aldeia Típica de Martim Branco
Caminho de Xisto de Martim Branco
Capela de Paiágua
Capela de Ribeiro das Eiras
Capela de Rochas de Baixo
Fonte de Ingarnal
Forno Comunitário de Martim Branco
Igreja de Almaceda
Igreja de Padrão
Igreja de Rochas de Cima
Percurso Pedestre  da Rota dos Lagares
Percurso Pedestre da Rota dos Moinhos
Poço de Padrão
Ponte de Paiágua
Praia Fluvial de Almaceda
Ribeira de Almaceda
Serra do Muradal

Na Freguesia de Benquerenças
Aldeia Típica de Azinheira
Capela de Maxiais
Moinhos de Água do Rio Liria
Rio Liria

Na Freguesia de Caféde
Capela de Nossa Senhora de Valverde
Capela de São Tiago
Chafariz
Fonte dos Poços
Igreja
Ponte Romana

Na Freguesia de Castelo Branco
Arte Urbana
Cais Fluvial dos Lentiscais
Capela de Nossa Senhora da Piedade
Capela de Sant'Ana
Capela de São Martinho
Casa do Arco do Bispo
Cascata de São Martinho
Castelo de Castelo Branco
Centro de Cultura Contemporânea
Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco
Chafariz da Rotunda do Milénio
Chafariz de São Marcos
Cine Teatro Avenida
Convento da Graça
Cruzeiro de São João
Edifício da Câmara Municipal
Edifício do Banco de Portugal
Ermida de Nossa Senhora de Mércoles
Escadaria dos Apóstolos
Estação de Caminhos de Ferro de Castelo Branco
Estátua do Doutor João Rodrigues
Fonte da Praça do Município
Igreja da Misericórdia
Igreja de Santa Maria
Igreja de São Miguel - Sé Catedral
Igreja dos Fradinhos
Jardim do Paço Episcopal
Miraduro de São Gens
Monte de São Martinho
Museu Cargaleiro
Museu da Ceda
Piscina de Castelo Branco
Pista de Atletismo
Rio Ocreza
Solar dos Motas
Solar dos Viscondes de Portalegre
Torre do Relógio

Na Freguesia de Cebolais de Cima
Chafariz da Igreja
Igreja
Museu dos Texteis

Na Freguesia de Escalos de Baixo
Capela de Nossa Senhora dos Aflitos
Capela de Santo António
Capela de São Luís
Igreja Matriz
Lavadouro
Polidesportivo
Ponte da Munheca
Ponte do Arco Abatido
Quinta da Bigorna
Rio Ponsul

Na Freguesia de Escalos de Cima
Capela da Casa Grande
Capela de Nossa Senhora da Ajuda
Casa Grande
Chafariz e Lavadouro
Igreja
Torre do Relógio

Na Freguesia de Freixial do Campo
Capela do Cemitério
Cruzeiro
Igreja
Moinho de Vento

Na Freguesia de Juncal do Campo
Arte Urbana
Fontanário
Lagar de Azeite

Na Freguesia de Lardosa
Albufeira da Barragem de Santa Águeda
Igreja
Piscina

Na Freguesia de Louriçal do Campo
Albufeira da Barragem de Santa Águeda
Capela de São Sebastião
Capela do Espírito Santo
Chafariz de Casal da Serra
Cruzeiro Ramos Preto
Igreja de Casal da Serra
Igreja Matriz
Percurso Pedestre da Gardunha
Percurso Pedestre Rota da Marateca
Piscina de São Fael
Quinta do Rosário
Rio Ocreza
Serra da Gardunha

Na Freguesia de Lousa
Capela de Santa Bárbara
Capela de São Sebastião
Cruzeiro
Igreja Matriz
Núcleo Etnográfico de Lousa
Palacete de Lousa

Na Freguesia de Malpica do Tejo
Igreja
Monte da Granja dos Castelos
Parque Natural do Tejo Internacional
Ponte do Rio Ponsul
Ribeira de Farropinha
Rio Ponsul
Rio Tejo

Na Freguesia de Mata
Capela de São Pedro
Chafariz da Praça do Rossio
Igreja

Na Freguesia de Monforte da Beira
Capela de Santo António
Couto dos Pardinhos
Igreja
Nicho
Rio Aravil
Rio Tejo

Na Freguesia de Ninho do Açor
Igreja
Piscina
Quinta da Alma Cheia

Na Freguesia de Póvoa de Rio de Moínhos
Barragem da Marateca
Herdade do Regato
Igreja

Na Freguesia de Retaxo
Capela da Senhora da Guia
Estação do Retaxo
Torre do Relógio

Na Freguesia de Salgueiro do Campo
Casa da Nora
Lagaretas
Miradouro do Salgueiro
Piscina da Salgueiro do Campo
Praia Fluvial do Muro
Ribeira do Tripeiro
Rio Ocreza

Na Freguesia de Santo André das Tojeiras
Avião Fiat
Azenha
Igreja da Fonte Longa
Igreja Matriz
Piscinas
Ponte do Alvito
Ponte sobre o Rio Ocreza
Rio Ocreza

Na Freguesia de São Vicente da Beira
Barragem do Pisco
Calvário
Capela de Nossa Senhora da Orada
Capela de Pereiros
Capela de Santo António do Mourelo
Fonte de São Vicente da Beira
Fonte do Monte da Vela
Igreja de Partida
Igreja de São Francisco
Pelourinho
Piscina
Quinta das Colinas
Serra da Gardunha

Na Freguesia de Sarzedas
Caminhos de Xisto das Sarzedas
Campanário
Capela da Misericórdia
Cruzeiro da Senhora da Luz
Igreja de Lisga
Igreja de São Domingos
Igreja Matriz
Pelourinho
Percurso Pedestre Rota do Poço dos Sinos
Percurso Pedestre Rota da Ribeira Magueija
Praia Fluvial do Sesmo
Rio Ocreza

Na Freguesia de Sobral do Campo
Alminha de Santa Bárbara
Capela de Santa Cruz
Igreja
Polidesportivo
Torre do Relógio

Na Freguesia de Tinalhas
Capela da Rainha Santa Isabel
Capela da Senhora da Encarnação
Capela de São Pedro
Capela do Espírito Santo
Capela do Senhor do Miradouro
Chafariz
Cruzeiros
Fonte
Igreja
Piscina
Torre do Relógio

15 maio 2019

Visitar o percurso pedestre da Floresta e da Biodiversidade - Zoio

O percurso pedestre da Floresta e da Biodiversidade tem início em Carrazedo e segue na direcção de Zoio. Os primeiros 700 metros coincidem com o percurso Carrazedo – Alimonde. Logo depois do início da Estação da Biodiversidade de Carrazedo, os percursos separam-se e este segue na direcção do Sítio da Pombeira, entrando num bosque de carvalho negral. Passa-se a Casa Florestal da Pombeira e findo o bosque, segue-se por caminhos agrícolas até à aldeia de Zoio. Depois de visitar a aldeia, toma-se a direcção de Martim, e ao chegar à Casa Florestal, regressa-se a Carrazedo por caminho florestal.

Visitar a Capela de Santa Luzia - Zoio


13 maio 2019

Visitar o Santuário de Nossa Senhora do Aviso - Serapicos

O Santuário de Nossa Senhora do Aviso é um santuário mariano localizado na freguesia de Serapicos.
Embora não se conheça quando é que a capela original foi construída, sabe-se que foi edificada em agradecimento pelos habitantes do povoado, após um deles, que regressava a casa num dia de inverno numa carroça puxada por uma junta de bois, ter sido surpreendido por lobos famintos. Em aflição, o homem implorou o auxílio de Nossa Senhora, e os lobos retiraram-se sem fazer-lhe qualquer dano, nem aos seus dois animais.
A capela, sob a invocação de Nossa Senhora do Aviso, já existia nos finais do século XVII e era servida por uma confraria com o mesmo nome. A confraria é anterior a 1726, pois naquela data já era se encontrava enriquecida de indulgências.
A primitiva capela, danificada pelo tempo, foi substituída pela actual, no mesmo local, por volta de 1890.
A romaria com procissão é efectuada anualmente no primeiro domingo do mês de Junho.
Exemplar de arquitectura religiosa. Integra oito templetes alusivos ao calvário.

Visitar a Ribeira de Serapicos


12 maio 2019

Visitar a Praia Fluvial de Serapicos

A Praia Fluvial de Serapicos alimentada pelas águas do rio Angueira é um amplo espaço de recreio na água, que nos meses de verão fazem as delicias de quem por aqui passa.
Esta Praia não possui vigilância a banhistas

Visitar o Parque de Merendas de Serapicos

O Parque de Merendas de Serapicos localiza-se junto do rio Angueira. Para aqui chegar tem de percorrer a povoação até chegar a um pontão, aí, logo verá o denso arvoredo de choupos e salgueiros que faz sombra às várias mesas e bancos do parque de merendas.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Assunção - Serapicos


Visitar a Capelinha do Sagrado Coração de Jesus - Serapicos


10 maio 2019

Visitar o percurso pedestre dos Quercus - Sendas

O percurso pedestre dos Quercus, parte do centro da localidade de Sendas para Vila Franca, tomando o caminho florestal que contorna o Monte do Gato e desce para a Linha do Tua. Ao chegar junto do antigo apeadeiro de Vila Franca, toma-se o caminho da direita para o centro da aldeia. Segue-se então para Fermentãos, por um caminho paralelo à antiga linha de caminho-de-ferro. À saída da aldeia atravessamos a ponte romana sobre a Ribeira de Sendas, tomando então o caminho da esquerda que acompanha a ribeira para Sul. Sobe-se ao ponto mais alto do percurso, a 873 metros e aprecia-se a paisagem para os lugares já visitados. A descida para Sendas é feita sempre por caminhos florestais.
Pouco depois de passar a ribeira, chega-se a um ramal no qual se pode optar por continuar a caminhada para o Cabeço Pelado e visitar uma cascata ou voltar ao ponto de partida.
Se optar pelo caminho principal, volta a passar a ribeira, continuando por essa margem, durante cerca de 3km. Atravessa-se novamente a ribeira e é já na fase final do percurso que surge um pequeno desvio (250m) para visitar a cascata, conhecida como Caldeira de Piões.

Visitar o Pelourinho de Vila Franca de Lampaças - Sendas

O Pelourinho de Vila Franca de Lampaças localiza-se na freguesia de Sendas e encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público.

07 maio 2019

Visitar o Painel de Azulejos de Sendas


Visitar a Fonte de Sendas


Visitar a Estação de Caminhos de Ferro de Sendas

A Estação de Caminhos de Ferro de Sendas, originalmente conhecida por Quintella, foi uma gare da Linha do Tua, que servia a localidade de Sendas, no Concelho de Bragança.
Em Julho de 1905, os trabalhos na Linha do Tua corriam com grande celeridade, esperando-se que nos finais de Setembro ou inícios de Outubro chegasse à estação de Quintella, situada junto a Valdrez e Sendas. No entanto, este troço só entrou ao serviço em 18 de Dezembro desse ano, enquanto que a secção seguinte, até Rossas, entrou ao serviço em 14 de Agosto de 1906.
Em 1939, a Companhia Nacional de Caminhos de Ferro fez obras de restauro nesta estação.