Pesquisa personalizada

14 dezembro 2010

Visitar o Parque Natural da Ria Formosa - Olhão

O Parque Natural da Ria Formosa foi instituído em 1987, cobre cerca de 20.000 hectares de um sistema lagunar que se estende por 60 km de litoral, entre a Praia do Garrão (a poente da ilha de Faro) e a Praia da Mantarrota (a nascente de Cacela-a-Velha). É um labirinto de canais, ilhas, sapais e bancos de areia, formados pelo depósito de sedimentos trazidos pelos cursos de água e pelo mar. A ria, a sul, está confinada por um cordão dunar estreito, interrompido aqui e além pelas barras que permitem a entrada das águas das marés. A poucos quilómetros de Olhão situa-se a Quinta de Marim, sede e centro de interpretação do parque natural, concebido especialmente para receber os visitantes, e onde se pode encontrar uma amostra representativa da diversidade dos valores naturais existentes nos principais ecossistemas da ria Formosa.
Este é um ponto de passagem da fauna migradora entre o Norte de África e a Europa e local de invernada das aves provenientes do Norte e Centro do continente europeu. O caimão ou galinha-sultana, emblema do parque natural, é uma das espécies mais raras da Europa, vivendo apenas em Espanha e em Portugal, na ria Formosa e foz da ribeira de Quarteira.

Na área do Parque podem-se observar Espécies de Aves, como o Flamingo, a Águia de Asa Redonda, o Guarda-rios, o Pato-trombeteiro, o Marrequinho-comum, o Maçarico-real ou a Tarambola Cinzenta
Outro habitante do Parque, quase extinto na Europa, é o camaleão.
A nível botânico, a área também é de grande interesse, especialmente pela vegetação das zonas de duna e sapal.A Ria tem também uma importância económica enorme devido à variedade de peixe, marisco e bivalves, sobretudo para Olhão, cidade também conhecida por ser a capital da Ria Formosa. Aqui se cultiva a ameijoa, saindo desta área cerca de 80% do total de exportação do país. A dourada, o robalo ou o camarão da Ria são abundantes.

Sem comentários:

Enviar um comentário